Onde Nasceu a Gastronomia

História da gastronomia

Vamos falar sobre como ela nasceu. A começar pelo termo, que tem sua origem no grego e pertence à aliança de 2 outras palavras: gaster, que significa estômago e nómos, que significa “leis que governam”. Gastronomia é, a autoridade que guia nosso estomago estômago ao mundo de sabores.

Quanto à sua história, o que se sabe é que não é tão antiga quanto muitos de nós imaginamos, pois na Idade Média, por exemplo, a população estava muito mais preocupada em saber se poderia descobrir algo para comer e menos em como comeria.

Segundo alguns historiadores, foi durante todo o reinado de Luís XIV que a gastronomia teve sua origem, uma vez que, a propósito, os nobres da França começaram a realizar e conceituar normas e regras sobre o que poderia ser realmente um bom ou mau consumo alimentar. Entretanto, foi só em 1801 que o termo gastronomia surgiu e foi utilizado pela primeira vez, como título de um poema de Joseph Berchoux.

Foi desde estes eventos que a cozinha francesa se tornou tão clássica e começou a ser reconhecida como um sinal de sofisticação na alimentação, destacando e fazendo-nos ver que existem diferenças fundamentais entre comer como conseqüência de uma necessidade biológica e comer como uma forma de celebrar um ritual social e cultural.

Alguns anos depois, em 1803, surgiu a primeira publicação focada na área. Escrito por Alexandre Grimod de La Reyniere e considerado o primeiro livro sobre gastronomia, o “Almanach des gourmands”, que pode ser traduzido como “Almanaque dos amantes da comida”, mostra a interação entre comida e disciplina, cerimônias e tradição.

Além disso, Alexandre Grimod de La Reyniere também foi encarregado de ampliar as publicações dedicadas à literatura gastronômica, apresentando as 3 formas mais conhecidas internacionalmente, que são os livros de receitas, os livros de etiqueta e também as revistas de crítica gastronômica.

Com a explosão das publicações gastronômicas, surgiram também os primeiros estabelecimentos que serviam alimentos mais refinados e especializados. Assim surgiram os primeiros restaurantes em Paris.

Dando um salto na história e chegando a esta época, tendo aparecido pela primeira vez na França, temos a possibilidade de ver que muitas palavras e termos utilizados na gastronomia hoje são franceses, tais como gourmet, maître, a la carte, mise en place, entre vários outros.

Além disso, outro ponto que temos a possibilidade de olhar e comentar é que os franceses foram além de seu interesse no assunto e investiram, e continuam investindo muito, em estudos sobre gastronomia, que acabaram se espalhando por todo o planeta, tornando-se um assunto sério para eles e para os entusiastas da culinária que atuam no território.

História da gastronomia no Brasil

Uma vez que os portugueses chegaram ao Brasil e estabeleceram os primeiros contatos com os índios, a crônica da gastronomia em nossa região começou a ser construída. Esta criação ocorreu justamente através da culinária indígena, que se diferenciava em vários pontos dos portugueses. Foi baseada principalmente nos frutos da terra, como milho, feijão, feijão verde, mandioca, goiaba, entre muitos outros.

Nesta fase, a mandioca era fundamental para os índios, pois dela obtinham seu alimento principal, que era a farinha. O que entendemos é que a farinha era realmente um componente essencial na dieta dos nativos, que, ao contrário da farinha, o feijão e a fava não eram tão apreciados, mas que, no entanto, o amendoim era bem consumido, seja cru, assado ou cozido.

Falando especialmente das práticas dos nativos que viviam aqui em 1500, eles não tinham um horário fixo para comer e, como os da Europa que vieram ao Brasil hoje, preferiam alimentos torrados ou tostados, e não gostavam deles cozidos. Em relação às bebidas que consumiam, tinham que ser constantemente aquecidas antes de bebê-las.

Quanto à gastronomia do Brasil, ela foi derivada exatamente ao longo da colonização brasileira e foi o resultado da mistura de 3 povos diferentes: os índios, que já mencionamos aqui, os portugueses e os da África. Desta miscigenação formou-se nossa cozinha, sendo a farinha, o prato típico dos índios que mencionamos, nacionalizada pelos portugueses e certos alimentos já feitos em nosso estado incorporados à cultura africana recém-chegada, como é a situação do milho, que foi acrescentada ao culto de Oxóssi.

Entretanto, foi somente após a liberdade brasileira que a gastronomia brasileira ganhou seu verdadeiro protagonismo. Entre as bebidas mais consumidas, havia a cachaça, que fazia parte dos muitos encontros feitos pelos brasileiros contra Portugal.